Fazemos esporte por pressão ou por prazer?

Como padrões impactam na autenticidade das mulheres que acabam praticando atividade física por pressão social.

Você com certeza conhece um grupo de homens que pratica seu esporte semanalmente de forma feliz, não é? Pode ser seu namorado, irmão ou pai, é comum entre homens que haja esse momento de esporte coletivo (e olha que nem todos possuem um bom condicionamento físico, mas participam pelo momento de descontração e lazer). Agora, um grupo de mulheres assim, você conhece? 

Não é por acaso que mulheres praticam menos esportes em conjunto e como lazer, isso já é histórico. Na Grécia antiga, acreditava-se que as mulheres ficariam masculinizadas com a prática esportiva, além de acharem que elas não possuíam condições físicas para a prática. Além disso, práticas como o futebol feminino já foram proibidas no Brasil, por motivos descabíveis como “comprometer a gravidez”. 

As mulheres sofrem historicamente a discriminação no esporte, o que faz elas assossiarem o exercício como algo que DEVE SER FEITO POR PRESSÃO e não que PODE SER FEITO COM PRAZER.

---

Além disso, ainda há outra questão que impede as mulheres de praticarem sua atividade física somente por prazer: padrões estéticos. É comum associarmos um exercício com algum aparente “benefício estético” (correr para emagrecer, malhar para definir, alongar para flexibilidade). 

É ruim buscar esses benefícios? Não. Porém, quando eles passam a ser nossa única meta, não conseguimos curtir o esporte de forma prazerosa, como no exemplo do grupo semanal que joga futebol com a galera.

Pesquisas apontam os riscos de fazer exercícios físicos somente pela estética. O grande problema está em usar a atividade física como meio para conquistar o “corpo ideal” e não pela preocupação com a saúde, por exemplo. As academias são vistas como lugares para alcançar esse corpo perfeito, mas a verdade é que o esporte serve para movimentar o corpo, gerar energia, disposição e criar vínculos entre pessoas.

Ok, você mulher já entendeu da importância de não fazer seus exercícios somente por pressão, mas sim por prazer, certo? Mas como aplicar isso no seu dia a dia? Aqui vão algumas dicas práticas para ajudar você nesse desafio:

1- FAÇA EXERCÍCIOS QUE VOCÊ GOSTA

Não adianta ficar insistindo naquele esporte que você “acha bonito”, mas não gosta de praticar. Quem está te obrigando? Muitas vezes é uma pressão social. Lembre-se de praticar esporte por prazer, tente coisas novas e divirta-se!

2- ESTEJA COM PESSOAS QUE TE MOTIVEM

Seja a mulher que reúne o grupo de mulheres que vão praticar algum esporte! Encontre outras mulheres que também precisam desse momento de diversão e atividade física. O papel do esporte também é conectar.

3- PARE DE SE AUTOCRITICAR

Dispense pensamentos como:

“Preciso melhorar minha performance”

“Meu corpo não está legal”

“Essa roupa não favoreceu meu condicionamento físico”

Substitua para  pensamentos como:

“Vou me divertir muito jogando!”

“Estou tão orgulhosa de mim mesma!”

“Quero que mais mulheres estejam aqui comigo.”

Já conseguiu sentir um pouco de diferença em trocar a “pressão” pelo “prazer” no esporte? Continua firme, essa prática precisa de constância! 

Ah, uma última dica que vamos dar é um podcast que nos inspirou nesse pensamento, o Episódio #112 saudável online, doente offline? com jojoca, do Bom dia Obvious.

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados